Entrevistas

Higher: “Fizemos o que amamos”

Por André BG | Em 01/06/2016 - 01:07
Fonte: Alquimia Rock Club

Foto: Divulgação

 

Se destacando na cena Heavy Metal do Brasil com seu álbum de estreia autointitulado lançado em 2014, a banda Higher de Campinas (interior de São Paulo), atualmente formada por Cezar Girardi (vocal), Gustavo Scaranelo (guitarra), Felipe Martins (guitarra), Andrés Zúñiga (baixo) e Pedro Rezende (bateria), concedeu uma entrevista exclusiva ao Alquimia Rock Club através de seu vocalista que você confere a seguir:

 

Alquimia Rock Club: Primeiramente, gostaríamos de agradecer por concederem essa entrevista para o Alquimia Rock Club. Vamos começar falando um pouco sobre o Higher, para quem ainda não conhece a banda. Como e quando vocês começaram e quais são as influências e propostas da banda?

 

Cezar Girardi: Nós que agradecemos a oportunidade de conversar com nossos fãs e, claro, nos apresentar para novos ouvintes e amantes do Metal. Na verdade o Higher é um projeto que começou há mais de 20 anos quando eu (Cezar Girardi - voz) e o Gustavo Scaranelo (guitarra) tínhamos uma banda chamada Second Heaven que infelizmente nunca deixou nada gravado. Então decidimos montar o Higher. Claro, colocando todas as nossas novas influências nas canções. E por falar nelas, as influências, somos influenciados por boas músicas, independente do estilo. A proposta do Higher é de apenas encorajarmos o ser humano a vencer suas batalhas, suas lutas internas e, claro, abrir os olhos para toda a necessidade que o mundo requer. Tudo isso temperado com o bom e maravilhoso METAL.

 

Alquimia Rock Club: O Higher não é a primeira banda em que vocês tocam, certo? Contem um pouco mais sobre suas experiências musicais anteriores.

 

Cezar: Todos os integrantes já trabalharam em outras bandas e de vários estilos, pois como vocês mesmo sabem, viver de música no Brasil é muito difícil! Tentamos trazer boas experiências para as composições do Higher.

 

Alquimia Rock Club: A banda lançou em 2014 o álbum autointitulado “Higher”, falem um pouco sobre esse trabalho, como foram desenvolvidas as ideias que resultaram nesse trabalho e como tem sido a repercussão?

 

Cezar: Gustavo e eu decidimos fazer um álbum conceitual desde o início. Teria que ser algo que acreditamos acima de qualquer coisa. Então, partimos para a ideia de elevação do ser humano, para que ele possa vencer suas próprias batalhas, e, ao encontrar seu equilíbrio, possa lutar também por outras causas. Mais uma vez gosto de deixar claro que ninguém da banda alcançou esse patamar de perfeição e equilíbrio, pois isso é uma batalha diária onde temos que nos aprimorar a todo minuto de nossa vida. E o mais legal disso tudo, é que muita gente se identificou com a nossa proposta, e isso nos alegra muito. Sobre a parte musical, toda roupagem das músicas ficou a cargo do Gustavo que é um gênio por sinal, e decidimos que as músicas soassem da forma que quiséssemos sem rótulos ou imposições do mercado musical. Fizemos o que amamos. A repercussão está muito satisfatória, recebemos muitas críticas favoráveis ao nosso trabalho. E com isso temos mais gás ainda para o lançamento do segundo álbum. E a repercussão foi muito maior, e melhor, do que a gente esperava!

 

Alquimia Rock Club: Logo nas primeiras audições desse trabalho, fica bem claro que se trata de um som muito bem trabalho e feito por músicos de altíssimo nível técnico, mas que ao mesmo tempo soa agradável e cativante para qualquer headbanger, não sendo em sua maior parte aquele tipo de som extremamente técnico feito apenas de músico para músico. Gostaria de saber se em algum momento vocês pensam nisso, como por exemplo, compor uma música que seja desafiadora e que agrade o gosto exigente de vocês como músicos de alto nível sem acabar soando técnico demais ao ponto de ficar chato para alguém que não é músico? 


Cezar: Verdade, mesmo! As músicas são extremamente trabalhadas e de difícil entendimento para quem não é músico, mas toda esta roupagem está apenas vestindo uma canção, que por outro lado é totalmente entendida pelo público geral.  Quando compomos as músicas, apenas fazemos o que queremos fazer, não temos pretensão nenhuma mercadológica, por isso compomos o que queremos. As pessoas cantam muito conosco nos shows, e isso nos mantém muito empolgados para trabalhar ainda mais.

 

Alquimia Rock Club: O álbum contou com uma ótima produção assinada por Thiago Bianchi (vocalista do Shaman e Noturnall). Como o nome dele surgiu para produzir o álbum? Vocês já se conheciam?

 

Cezar: Sim, nosso querido Thiago Bianchi trabalhou conosco neste disco, chegamos até ele pelo grande Fernando Quesada, que também ajudou na produção. Trabalhar como estas feras só fez o Higher crescer ainda mais! Mas não nos conhecíamos antes disso.

 

Alquimia Rock Club: O álbum contou com apenas um guitarrista (Gustavo Scaranelo), mas vocês já contam com um segundo guitarrista (Felipe Martins). Como e quando foi que vocês perceberam que seria necessária uma segunda guitarra na banda?

 

Cezar: Os arranjos e o peso do som nos mostraram que seria extremamente necessário a entrada do Felipe, que assumiu a guitar e não deixou a desejar! E com isso o som está muito bem executado ao vivo. Aliás, somos extremamente elogiados no palco, o que nos deixa muito felizes. Pois é no palco que os homens são separados dos meninos!

 

Alquimia Rock Club: Muita coisa mudou e continua mudando na cena Rock/Metal no Brasil, como vocês vêem a cena atualmente, quais as expectativas e onde o Higher se encaixa nesse contexto?

 

Cezar: Esse mercado é muito difícil, temos que manter o foco no trabalho, tentar levar um bom show aos nossos fãs e não desanimar com a falta de espaço para som autoral no Brasil. Existe um número gigante de bandas “tributos” e com isso as bandas estão esquecendo de fazer sons autorais e isso é muito triste.

 

Alquimia Rock Club: Ainda sobre nossa cena, não é novidade pra ninguém que viver de música no Brasil não é algo fácil, no Rock/Metal então nem se fala. Vocês possuem outras atividades profissionais fora da banda? Se sim, comentem. 

 

Cezar: Sim, todos nós somos professores de seus respectivos instrumentos, fazemos também alguns shows com outras bandas para poder sobreviver. Mas todos vivem de música.

 

Alquimia Rock Club: Quais os planos para o futuro próximo da banda? Vocês já trabalham em novas composições para um lançamento futuro?


Cezar: Sim! Já estamos compondo para o segundo álbum e lançaremos o mais rápido possível. Queremos muito o mercado europeu e continuaremos tentando levar o metal brasileiro para o exterior.

 

Alquimia Rock Club: Mais uma vez, agradecemos por concederem essa entrevista para o Alquimia Rock Club, o espaço é todo de vocês para darem um recado final ao público.

 

Cezar: Muito obrigado por este espaço! Valeu mesmo! E que todos possam continuar estudando seus instrumentos e que saibam que o caminho é árduo e nada cai no colo.  Mas quando você termina seu show e vê os fãs cantando suas músicas, você esquece tudo e vê que tudo vale a pena. HIGHER AND HIGHER!

 

 

Mais Informações:

 

www.higherband.com

www.facebook.com/highermetal 

www.soundclound.com/highermetal

www.twitter.com/highermetal

www.youtube.com/highermetalband

 

Foto: Divulgação

 

Confira também a resenha do álbum de estreia do Higher pelo Alquimia Rock Club: Higher - 2014 - Higher: http://www.alquimiarockclub.com.br/resenhas/4632/ 

 

 



André BG

Apenas um cara que curte futebol, mulher e Rock 'n' Roll, bebe cerveja e torce para o Palmeiras!

Facebook: https://www.facebook.com/andre.alvesbg.5




blog comments powered by Disqus