Entrevistas

Pop Javali: Colhendo os frutos da primeira turnê pela Europa

Por André BG | Em 12/12/2015 - 18:37
Fonte: Alquimia Rock Club

Fotos: Som do Darma

 

Com seus mais de 20 anos de estrada e se firmando cada vez mais como um dos principais nomes do Hard Rock/Heavy Metal do Brasil, o power trio Pop Javali acaba de retornar de sua primeira turnê pela Europa. O guitarrista Jaéder Menossi contou como foi essa primeira experiência da banda pelo velho continente na entrevista que você confere a seguir:

 

Alquimia Rock Club: Primeiramente gostaríamos de agradecer por concederem mais essa entrevista para o Alquimia Rock Club e parabeniza-los pela turnê que fizeram na Europa. Vamos começar falando dessa primeira experiência do Pop Javali no velho continente, quantos shows vocês fizeram?

 

Jaéder Menossi: Muito obrigado pela oportunidade de falar novamente ao Alquimia Rock Club e seus leitores. Fizemos 10 shows no total, sendo dois na Inglaterra (Londres), três na Holanda (Sneek, Drachten e Amsterdam), um na Itália (Milão), um na Suíca (Worblaufen) e três na Alemanha (Oer Erkenswich e dois em Hamburgo, sendo um deles acústico).  

 

Alquimia Rock Club: Com relação à estrutura e profissionais, o que vocês encontraram de diferente por lá e quais as diferenças com relação ao Brasil?

 

Jaéder: A estrutura era muito boa em todos os lugares que tocamos, tínhamos som e iluminação top, sound engineers e todo um staff a disposição para te atender em qualquer necessidade. Nos venues que tocamos só rola Rock, Hard, Heavy, Thash, nunca tem pagode ou sertanejo em outros dias da semana, então o pessoal de técnica entende facilmente o que você precisa em termos de som, ajustes de monitor, side, PA, etc. 

 

Alquimia Rock Club: Como foi a adaptação de vocês nesses dias que ficaram na Europa? Sentiram falta de algo aqui do Brasil?

 

Jaéder: A adaptação foi de boa, lógico que o clima é diferente, mas nada fora do comum. O legal é poder estar em outros lugares e aproveitar ao máximo do que eles tem a oferecer, suas diferenças em relação ao que temos aqui. Sentimos falta das nossas famílias, todos temos esposas, filhos, alguns de nós tem netos (!), então sempre que havia oportunidade entrávamos em contato pra saber se estava tudo ok, aquela coisa normal de quando se fica ausente por uns dias. 

 

Alquimia Rock Club: O público nos lugares onde tocaram era formados mais por brasileiros que residem por lá ou mais pelo publico nativo de cada país mesmo?

 

Jaéder: O público era prioritariamente nativo de cada país mesmo e foi ótimo poder fazer novas amizades com fãs e músicos de outras bandas, esse intercâmbio é muito gratificante e importantíssimo! Mas felizmente também encontramos pontualmente alguns brasileiros que moram na Europa, o que foi muito bacana, pois sentimos que proporcionamos a eles alegria de se sentirem representados fora de seu país.

 

Alquimia Rock Club: Com relação a recepção do público com a música da banda,  as pessoas demonstravam já conhecer o som da banda nas apresentações ou a platéia encontrada era composta mais por pessoas interessadas em conhecer uma banda nova de outro país? 

 

Jaéder: As pessoas já conheciam o som da banda, e mais, conheciam o trabalho dos músicos individualmente! Nos perguntavam sobre se determinada música estaria no set, sobre a guitarra que foi usada na gravação do clipe de “Healing no More”, cantavam os refrões com a gente, foi uma surpresa agradabilíssima! Isso refletiu positivamente em nossas performances que foram todas muito boas com uma carga muito alta de energia e adrenalina.

 

Alquimia Rock Club: Das apresentações que fizeram, alguma foi mais especial e marcante por algum motivo?

 

Jaéder: Sim, posso destacar os shows no Cart And Horses, em Londres, que foi o pub onde o Iron Maiden fez suas primeiras apresentações, é um ambiente histórico. Também os festivais que participamos como o Razorblade, na Alemanha, e Sneeker Metal Meeting, na Holanda, que são festivais tradicionais que contam com um público muito grande todos os anos. Mas todos os shows em si foram muito especiais pra gente, cada um de sua forma.

 

Alquimia Rock Club: Alguma experiência ruim? Quais os problemas e dificuldades enfrentados nessa primeira turnê europeia? 

 

Jaéder: Não, felizmente não. Somente coisas boas para contar!

 

Alquimia Rock Club: Nós sabemos que é muito complicado ser músico e viver de música no Brasil, ao menos financeiramente falando, como vocês avaliam essa primeira passagem pela Europa? Foi rentável? 

 

Jaéder: Foi rentável, os cachês eram muito bons e as pessoas compram de tudo, CDs, camisetas e outros itens de merchandising e ainda deixam o troco pra banda.  Vale salientar que o grande sucesso atingido na Europa se deve em muito ao trabalho estratégico e meticuloso dos nossos parceiros do Som do Darma, Eliton Tomasi e Susi dos Santos no planejamento e management dessa tour.

 

Alquimia Rock Club: Essa foi a primeira turnê da banda na Europa, mas algum de vocês já havia visitado o continente anteriormente? 

 

Jaéder: Não, já estive nos Estados Unidos algumas vezes, mas na Europa foi minha primeira e inesquecível vez.

 

Alquimia Rock Club: Nos intervalos entre as viagens e shows, conseguiram curtir os lugares por onde passaram?

 

Jaéder: Sim, sem dúvida, procuramos aproveitar ao máximo o que cada região e país tinha a nos oferecer, seja na culinária, nas bebidas típicas, pontos turísticos, etc, e também fizemos muitas fotos e vídeos para divulgação, aproveitando aqueles cenários maravilhosos.

 

Alquimia Rock Club: Particularmente falando, qual lugar vocês mais apreciaram estar? 

 

Jaéder: Difícil falar um lugar que tenha gostado mais, todas cidades por que passamos eram lindíssimas e sempre encontramos pessoas acolhedoras e um clima hospitaleiro. Talvez Hamburgo, na Alemanha, tenha sido o lugar que mais gostei, é um lugar apaixonante de estar.

 

Alquimia Rock Club: Em nossa última conversa (em setembro) vocês haviam dito que já estavam com outro álbum praticamente pronto e também sobre gravar um álbum ao vivo na Europa, como andam esses planos e quais as novidades podem falar com relação ao futuro próximo da banda?

 

Jaéder: O repertorio do próximo CD de estúdio está definido, algumas composições inclusive já fizeram parte do nosso set em alguns shows. As demais estamos pré-produzindo visando ajustar alguns detalhes. O disco ao vivo na Europa deve sair ainda no primeiro semestre, o material que registramos na Europa já esta em fase de mixagem e a produção está a cargo novamente de Andria e Ivan Busic, que dispensam apresentações. Enfim, muita coisa boa por vir!

 

Alquimia Rock Club: Mais uma vez, agradecemos por concederem mais essa entrevista para o Alquimia Rock Club, o espaço é todo de vocês para darem um recado final ao público. 

 

Jaéder: Nos é quem agradecemos pelo espaço e gostaríamos de convidar a todos os seus leitores para que acompanhem as novidades do Pop Javali em nosso site e redes sociais. Stay Tuned! Um abraço e um 2016 de muito Rock a todos!

 

 

Links:

 

www.popjavali.com.br

www.facebook.com/popjavali

www.twitter.com/popjavali

www.youtube.com/popjavali92

www.soundcloud.com/popjavali

 
 
 
 
 
 
 
 
Confira a resenha do álbum The Game Of Fate: http://www.alquimiarockclub.com.br/resenhas/4619/
 


André BG

Apenas um cara que curte futebol, mulher e Rock 'n' Roll, bebe cerveja e torce para o Palmeiras!

Facebook: https://www.facebook.com/andre.alvesbg.5




blog comments powered by Disqus